Jardim em casa

No meio da rotina corrida do dia a dia, uma parada para descansar no jardim de casa pode ser uma boa pedida. Confira nesta dica do Portal WebReforma como montar um belo espaço verde em sua residência

 

Quem tem o privilégio de ter um jardim em casa, sabe o quanto é gostoso relaxar em contato com as plantas e flores, ou sentar num local bem agradável para ler, receber os amigos e a família. Muitas pessoas tem o desejo de possuir uma área verde na sua residência, por isso os jardins pequenos vêm ganhando espaço na área de decoração e paisagismo. Mas o que muita gente não sabe é que para fazer um jardim bonito não é preciso gastar muito, basta apenas um vaso diferente, uma planta mais viçosa ou flores exuberantes para se conseguir criar o espaço.

O primeiro passo na hora de iniciar a construção de um jardim residencial é definir o que você irá utilizar para montá-lo. Organização e planejamento nessa hora é fundamental.  É recomendável não misturar muitos tipos de flores e folhagens para não estragar a sensação de equilíbrio do ambiente. Se tratando de um jardim bem colorido, devemos tomar cuidado para não ficar bagunçado, portanto procure usar algo predominante, como pedras decorativas ou um belo gramado verde. Outro item importante é ver o tamanho das plantas para que se adequem ao espaço.

 

 

Para os móveis de jardim, utilize poucos acessórios e com linhas simples. Lembre-se sempre de que o conforto é primordial. Prefira mobílias confortáveis e amplas, inclusive com almofadas nas cadeiras. Uma boa pedida é optar por mesinhas, bancos, cadeiras e poltronas práticas, que podem ser facilmente movidas. Um par de poltronas, uma mesa pequena, banco com almofadas ou até aqueles colchões tipo futton são suficientes.

   

      

 

Utilize vasos para decorar o local. Para quem mora em apartamento é a maneira mais prática de conservar um jardim. Além disso tudo, é perfeitamente possível trazer para o jardim aqueles objetos de decoração que normalmente ficam dentro de casa, como molduras de quadros, gaiolas e espelhos decorativos.

 

   

   

 

Já para quem tem pouco espaço, uma solução bonita e inteligente são os jardins verticais, repleto de plantas pendentes. Sabe aquela varanda pequena que tem a maior cara de quintal? Sim, ela pode se transformar em um belo jardim. Aposte em samambaias, rendas-portuguesas, columéias (peixinhos) tostões (dinheiro-em-penca), que são simples de cuidar e sempre surpreendem.

Vale destacar que o ideal sempre é contratar um paisagista, que irá elaborar e executar um projeto levando em conta as melhores plantas e a forma mais adequada.

 

   

      

Fotos: Reprodução

Gostou da dica? Então acesse o Portal WebReforma e encontre profissionais recomendados. São paisagistas, empresas de jardinagem, pergolados e decks, marceneiros entre outros.

Trocas saudáveis

Mudando um pouco de assunto. Em nome da saúde!!!!

mont000

Oi gente,

Tudo bem com vocês?  Espero que sim e como anda a alimentação? Uma boa forma de alcançar mudanças permanentes e manter uma alimentação saudável é ir mudando os hábitos aos poucos, não adianta achar que tudo vai mudar do dia para a noite, não é fácil, mas também não é impossível, né? Então pensando em dar o primeiro passo, trouxe umas dicas de como iniciar uma reeducação, trocando alimentos que nos fazem mal por alimentos que realmente vão nos ajudar.

Ver o post original 303 mais palavras

Fukushima: Um alerta para o mundo

O desastre nuclear de Fukushima, acarretado por um terremoto e posteriormente um tsunami, fez com que se criasse uma cidade fantasma. A população teve que ser evacuada as pressas e tudo foi deixado para trás, pois estava contaminado por radiação.

Hoje há apenas um cenário fúnebre de desolação e abandono. E a natureza com sua força unica, está engolindo a cidade.

Essas imagens nos faz pensar sobre as vantagens e os contras de uma energia que, caso ocorra algum acidente, pode acarretar tamanha destruição.

A seguir algumas fotos tiradas por drones ou por pessoas autorizadas e devidamente protegidas.

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-46

Note que os carros estão em perfeitas condições

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-60

Toneladas e mais toneladas de soja inutilizada

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-58

A aula foi interrompida imediatamente

Cenário de destruição e abandono causado pelo tsunami

Cenário de destruição e abandono causado pelo tsunami

Muitos animais foram abandonados a própria sorte e já sofrem os efeitos da radiação como vemos na pelagem.

Muitos animais foram abandonados a própria sorte e já sofrem os efeitos da radiação como vemos na pelagem.

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-57

Centenas de bicicletas abandonadas

Mesmo com a cidade abandonada, as luzes publicas são acesas, que acabam causando mais estranheza.

Mesmo com a cidade abandonada, as luzes publicas são acesas, que acabam causando mais estranheza.

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-55

Sala de aula abandonada as pressas

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-53

A mesa do jantar foi deixada como estava

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-52

Os computadores se tornaram puleiros de aves

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-50

A loja de calçados já esta dominada por insetos

POD7966

Até dinheiro foi deixado para trás.

Cicatriz deixada pelo terremoto

Cicatriz deixada pelo terremoto

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-48

A moto deixada junto ao poste já está sendo engolida pela mata

Foto aérea de um rodovia com carros abandonados

Foto aérea de um rodovia com carros abandonados

photos-fukushima-exclusion-zone-podniesinski-64

A placa diz: “A energia nuclear é a energia de um futuro brilhante”

Fonte: www.podniesinski.pl

Cada lixo no seu lugar

Veja mais essa dica do Portal WebReforma

A reciclagem reduz, de forma importante, o impacto sobre o meio ambiente. Além disso, é fonte de renda para catadores.

A maioria das pessoas tem a consciência da importância de realizar a coleta de lixo para reciclagem. Mesmo assim, o número de lixo reciclado no Brasil ainda é muito pequeno em relação ao resíduo sólido produzido. A denominação resíduo sólido é usada para nominar o lixo sólido e semissólido, proveniente das residências, das indústrias, dos hospitais, do comércio, de serviços de limpeza urbana ou da agricultura. E a maior parte dele vai parar em lixões a céu aberto, sem tratamento algum, causando danos ao meio ambiente.

As vantagens da separação do lixo doméstico ficam cada vez mais evidentes. Além de aliviar os lixões e aterros sanitários, chegando até eles apenas os rejeitos (restos de resíduos que não podem ser reaproveitáveis), grande parte dos resíduos sólidos gerados em casa pode ser reaproveitada. A reciclagem economiza recursos naturais e gera renda para os catadores de lixo, parte da população que depende disso para sobreviver.

Ao separar os resíduos, estão sendo dados os primeiros passos para sua destinação adequada. As pessoas devem se informar onde existem pontos de coleta seletiva na sua cidade. Em alguns municípios, caminhões fazem a coleta do material reciclável. Então, é só separar os materiais e entregar ou esperar que sejam coletados.

Tipos de lixo
O lixo gerado pelos diversos segmentos da sociedade pode ser classificado de acordo com sua composição (características físicas) e destino. Esta classificação é muito importante, pois facilita a coleta seletiva, reciclagem e definição do destino mais apropriado. Confira quais os tipos de lixos:

Lixo orgânico
É o lixo derivado dos resíduos orgânicos. São gerados principalmente nas residências, restaurantes e estabelecimentos comerciais que atuam na área de alimentação. Devem ser separados dos outros tipos de lixo, pois são destinados, principalmente, aos aterros sanitários das cidades.
Exemplos: cascas de frutas e legumes; restos de verduras, de arroz e de feijão; restos de carnes e ovos.

Lixo reciclável
É todo lixo material que pode ser utilizado no processo de transformação de outros materiais ou na fabricação de matéria-prima. São gerados nas residências, comércios e indústrias. Devem ser separados e destinados a coleta seletiva. São usados por cooperativas e empresas de reciclagem. A separação para a reciclagem deste tipo de resíduo sólido é de extrema importância, pois além de gerar empregos e renda, também contribui para o meio ambiente. Isto ocorre, pois este lixo não vai gerar poluição em rios, solo e mar.
Exemplos: embalagens de plástico, papelão, potes de vidro, garrafas PET, jornais e revistas usadas e objetos de metal.

Lixo industrial
São os resíduos, principalmente sólidos, originários no processo de produção das indústrias. Geralmente é composto por sobras de matérias-primas, destinados à reciclagem ou reuso no processo industrial.
Exemplos: retalhos de tecido, sobras e retalhos de metal, embalagens de matéria-prima, sobras de vidro e etc.

Lixo hospitalar
São os resíduos originados em hospitais e clínicas médicas. São perigosos, pois podem apresentar contaminação e transmitir doenças para as pessoas que tiverem contato. Devem ser tratados segundo padrões estabelecidos, com todo cuidado possível. São destinados para empresas especializadas no tratamento deste tipo de lixo, onde geralmente são incinerados.
Exemplos: curativos, seringas e agulhas usadas, material cirúrgico usado, restos de medicamentos e até mesmo partes do corpo humano extraídos em procedimentos cirúrgicos.

Lixo comercial
É aquele produzido pelos estabelecimentos comerciais como, por exemplo, lojas de roupas, brinquedos e eletrodomésticos. Este lixo é quase totalmente destinado à reciclagem, pois é composto, principalmente, por embalagens plásticas, papelão e diversos tipos de papéis.

Lixo verde
É aquele que resulta, principalmente, da poda de árvores, galhos, troncos, cascas e folhas que caem nas ruas. Por se tratar de matéria orgânica, poderia ser utilizado para compostagem, produção de adubo orgânico e até confecção de objetos de artesanato. Infelizmente, no Brasil, ele é destinado quase exclusivamente aos aterros sanitários.

Lixo eletrônico
São os resíduos gerados pelo descarte de produtos eletroeletrônicos que não funcionam mais ou que estão muito superados.
Exemplos: televisores, rádios, impressoras, computadores, geladeiras, micro-ondas, telefones e etc.

Lixo nuclear
É aquele que é gerado, principalmente, pelas usinas nucleares. É um lixo altamente perigoso por se tratar de elemento radioativo. Devem tratados seguindo padrões rigorosos de segurança.
Exemplos: sobras de urânio utilizados em usinas nucleares e elementos radioativos que compõem aparelhos de raio-x.

Lixo espacial
É o lixo gerado a partir das atividades espaciais. Ficam na órbita terrestre, gerando uma grande poluição espacial.
Exemplos: satélites desativados, ferramentas perdidas em missões espaciais, resíduos de tintas e pedaços de foguetes espaciais.

Lixeiras específicas
Quando houver a necessidade de levar seu lixo até um dos pontos de coleta, é preciso saber que existem lixeiras específicas para cada tipo de resíduo, que são diferenciadas pelas cores. Essas cores seguem um padrão internacional.

As mais comuns são: azul, vermelho, verde e amarelo, porém, existem outras que não são tão utilizadas no dia a dia, mas vale a pena conhecer:

Azul: papel e papelão

Vermelho: plástico

Verde: vidro

Amarelo: metal

Preto: madeira

Laranja: resíduos perigosos

Branco: resíduos ambulatoriais e de serviço de saúde

Roxo: resíduos radioativos

Marrom: resíduos orgânicos

Cinza: resíduos não recicláveis, misturados ou contaminados.

Lembre-se: o lixo deve ser colocado limpo nessas lixeiras, para facilitar o trabalho de quem recicla e para que não haja perda de material.

Sem dúvidas
Ouvimos sempre o quanto é importante reciclar materiais. Mas muitas vezes o que pode ser reciclado não fica muito claro. Abaixo, confira algumas dicas do que pode ser encaminhado para a coleta seletiva e o que deve ir para o lixo comum:

Papel:

O que recicla – Papéis de escritório, papelão, caixas em geral, jornais, revistas, livros, listas telefônicas, cadernos, papel cartão, cartolinas, embalagens longa-vida, listas telefônicas, livros.

O que não recicla – Papel carbono, celofane, papel vegetal, termofax, papéis encerados ou plastificados, papel higiênico, lenços de papel, guardanapos, fotografias, fitas ou etiquetas adesiva.

Plástico:

O que recicla – Sacos, CDs, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, PET (como garrafas de refrigerante), canos e tubos, plásticos em geral.

O que não recicla – Plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos), isopor.

Vidros:

O que recicla – Garrafas de bebida, frascos em geral, potes de produtos alimentícios, copos.

O que não recicla – Espelhos, cristais, vidros de janelas, vidros de automóveis, lâmpadas*, ampolas de medicamentos, cerâmicas, porcelanas, tubos de TV e de computadores.

*O ideal é que esse material seja embalado e descartado em locais que encaminhem para a descontaminação.

Metais:

O que recicla – Latas de alumínio (refrigerante, cerveja, suco), latas de produtos alimentícios (óleo, leite em pó, conservas), tampas de garrafa, embalagens metálicas de congelados, folha-de-flandres.

O que não recicla – Clips, grampos, esponjas de aço, tachinhas, pregos e canos.

Conhecendo essas informações, é bem mais fácil separar seu lixo reciclável. Se você tem alguma dúvida, procure um posto de coleta e informe-se. O que não vale é ficar parado! A coleta seletiva de lixo é uma atitude simples, mas que ajuda a preservar o meio ambiente, evitando o acúmulo de lixo e reaproveitando os recursos.

Essa foi mais uma dica do portal WebReforma em prol do meio ambiente.
Acesse nosso Portal e encontre empresas e profissionais de Reciclagem ** Link com a empresa Sete Praias **, Caçambas, entre outros.

Fotos: Reprodução

Opções para um banho quentinho

Elétrico, a gás ou solar? Na hora de construir ou reformar surge a dúvida por qual aquecimento de água optar.

Em época de crise hídrica e elétrica, vem à tona a discussão sobre qual maneira de esquentar a água atinge menos o seu bolso. Ao projetar, construir ou reformar uma casa, o banho quente costuma gerar dúvidas. Qual é a melhor opção: elétrico, a gás ou solar?

Elétrico

O tipo mais comum de aquecimento de água no Brasil é o chuveiro elétrico, presente em mais de 73% dos lares brasileiros. Seu alto grau de difusão se justifica pela sua facilidade de instalação, operação e manutenção. O sistema é simples: a água quente é fornecida diretamente na mesma unidade onde será aquecida.

Segundo pesquisa realizada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), tomar banho com o tradicional chuveiro elétrico é o modo mais econômico.

Gás

Outro sistema que tem se difundido no país é o de aquecimento a gás. Essa tecnologia permite o aquecimento da água de forma mais estável, proporcionando maior conforto, porém em termos de economia ainda perde para o chuveiro elétrico.


Ao projetar, construir ou reformar uma casa, o banho quente costuma gerar dúvidas

O aquecimento a gás pode ser de passagem ou de acumulação. No primeiro, existe uma tubulação de água quente que distribui a água quente a partir do aquecedor até cada ponto de consumo. Já no de acumulação, um tanque isolado termicamente mantém a água a uma determinada temperatura, de onde é direcionada aos pontos de consumo. Com esse sistema de aquecimento o consumo da água pode ser imediato (conforme a regulagem) ou para consumo posterior. Existe ainda a possibilidade de união dos sistemas de passagem e acumulação. As empresas que executam esse tipo de instalação costumam chamar o sistema conjugado de “central térmica”, que consiste basicamente de um aquecedor de passagem ligado a uma bomba e a uma central de acumulação (com ou sem possibilidade de ligação elétrica).

Os sistemas a gás não gastam energia elétrica, mas muitos projetistas costumam deixar, por via das dúvidas, uma tomada pronta para chuveiro elétrico junto aos chuveiros, para o caso de pane ou manutenção no sistema à gás.

Solar

Apesar de nosso imenso potencial energético solar, o sistema termossolar emprega energia limpa, porém encontra restrições devido ao alto valor do equipamento e das regiões com pouca insolação. Quando instalado, precisa de um aquecimento auxiliar para garantir o conforto em dias chuvosos ou nublados. Mas vale destacar que o investimento para a compra e instalação desses equipamentos se paga em cerca de dois anos, graças a uma redução média de 30% na conta mensal de energia da residência.


Sistema de aquecimento solar

Escolher o melhor sistema de aquecimento de água para uma casa exige uma compreensão de como funciona cada uma das alternativas e suas vantagens. O melhor momento para começar a pensar na escolha do sistema de água quente para os banheiros é durante o projeto da obra. Isto porque envolve a montagem de encanamentos, localização da caixa d’água e do aquecedor central (caldeira), a escolha das torneiras e misturadores, sem falar do chuveiro e demais acessórios que entrarão em contato com a água.

Essa é mais uma dica do portal WebReforma para ajudar na sua reforma ou construção.

Acesse nosso portal e encontre empresas e profissionais de Manutenção e Serviços, Eletricistas, Maridos de Aluguel, Arquitetos, e muito mais.

Fotos: Reprodução

Aktivhaus B10 – A primeira casa autosustentável do mundo

PET Engenharia Civil - UFJF


Localizada na cidade de Stuttgart, na Alemanha, a casa chamada de Aktivhaus foi financiada pelo governo alemão e utiliza técnicas avançadas de energia renovável e  um sistema de “auto-controle”. Baseada no conceito do “triple zero“: zero energia, zero emissão e zero resíduo.

O objetivo do projeto, desenvolvido pelo Stuttgart Institute of Sustainability Stiftung e financiado pelo governo alemão, é demonstrar como materiais inovadores e tecnologias sustentáveis podem oferecer modernidade às residências. A casa fica perto do condomínio de Weissenhof, construído em 1927, que possui muitas inovações tecnológicas em sua extensão.

Planta da casa Aktivhaus Planta da casa Aktivhaus

A casa possui 90 metros quadrados, e gera o dobro de energia necessária para seu consumo, alimentando ainda dois carros elétricos. A energia é produzida por meio de um sistema instalado no telhado que combina placas fotovoltaicas e tecnologias solares térmicas, gerando eletricidade e calor ao mesmo tempo. Ela gera 8.300 kWh de eletricidade ao ano e possui 85 m². Apesar…

Ver o post original 118 mais palavras

Continue economizando água

Passou o período de chuvas e os reservatórios continuam em nível crítico.

Então vamos continuar a economizar água com mais essas dicas:

– Coloque reguladores de vazão nas torneiras;

– Diminua a pressão da água no registro;

– Feche o registro se for viajar ou se o imóvel estiver vazio;

– Conserte vazamentos, verificando canos, torneiras e descargas;

– Não use o vaso sanitário como lixeira.

Face101