Cada lixo no seu lugar

Veja mais essa dica do Portal WebReforma

A reciclagem reduz, de forma importante, o impacto sobre o meio ambiente. Além disso, é fonte de renda para catadores.

A maioria das pessoas tem a consciência da importância de realizar a coleta de lixo para reciclagem. Mesmo assim, o número de lixo reciclado no Brasil ainda é muito pequeno em relação ao resíduo sólido produzido. A denominação resíduo sólido é usada para nominar o lixo sólido e semissólido, proveniente das residências, das indústrias, dos hospitais, do comércio, de serviços de limpeza urbana ou da agricultura. E a maior parte dele vai parar em lixões a céu aberto, sem tratamento algum, causando danos ao meio ambiente.

As vantagens da separação do lixo doméstico ficam cada vez mais evidentes. Além de aliviar os lixões e aterros sanitários, chegando até eles apenas os rejeitos (restos de resíduos que não podem ser reaproveitáveis), grande parte dos resíduos sólidos gerados em casa pode ser reaproveitada. A reciclagem economiza recursos naturais e gera renda para os catadores de lixo, parte da população que depende disso para sobreviver.

Ao separar os resíduos, estão sendo dados os primeiros passos para sua destinação adequada. As pessoas devem se informar onde existem pontos de coleta seletiva na sua cidade. Em alguns municípios, caminhões fazem a coleta do material reciclável. Então, é só separar os materiais e entregar ou esperar que sejam coletados.

Tipos de lixo
O lixo gerado pelos diversos segmentos da sociedade pode ser classificado de acordo com sua composição (características físicas) e destino. Esta classificação é muito importante, pois facilita a coleta seletiva, reciclagem e definição do destino mais apropriado. Confira quais os tipos de lixos:

Lixo orgânico
É o lixo derivado dos resíduos orgânicos. São gerados principalmente nas residências, restaurantes e estabelecimentos comerciais que atuam na área de alimentação. Devem ser separados dos outros tipos de lixo, pois são destinados, principalmente, aos aterros sanitários das cidades.
Exemplos: cascas de frutas e legumes; restos de verduras, de arroz e de feijão; restos de carnes e ovos.

Lixo reciclável
É todo lixo material que pode ser utilizado no processo de transformação de outros materiais ou na fabricação de matéria-prima. São gerados nas residências, comércios e indústrias. Devem ser separados e destinados a coleta seletiva. São usados por cooperativas e empresas de reciclagem. A separação para a reciclagem deste tipo de resíduo sólido é de extrema importância, pois além de gerar empregos e renda, também contribui para o meio ambiente. Isto ocorre, pois este lixo não vai gerar poluição em rios, solo e mar.
Exemplos: embalagens de plástico, papelão, potes de vidro, garrafas PET, jornais e revistas usadas e objetos de metal.

Lixo industrial
São os resíduos, principalmente sólidos, originários no processo de produção das indústrias. Geralmente é composto por sobras de matérias-primas, destinados à reciclagem ou reuso no processo industrial.
Exemplos: retalhos de tecido, sobras e retalhos de metal, embalagens de matéria-prima, sobras de vidro e etc.

Lixo hospitalar
São os resíduos originados em hospitais e clínicas médicas. São perigosos, pois podem apresentar contaminação e transmitir doenças para as pessoas que tiverem contato. Devem ser tratados segundo padrões estabelecidos, com todo cuidado possível. São destinados para empresas especializadas no tratamento deste tipo de lixo, onde geralmente são incinerados.
Exemplos: curativos, seringas e agulhas usadas, material cirúrgico usado, restos de medicamentos e até mesmo partes do corpo humano extraídos em procedimentos cirúrgicos.

Lixo comercial
É aquele produzido pelos estabelecimentos comerciais como, por exemplo, lojas de roupas, brinquedos e eletrodomésticos. Este lixo é quase totalmente destinado à reciclagem, pois é composto, principalmente, por embalagens plásticas, papelão e diversos tipos de papéis.

Lixo verde
É aquele que resulta, principalmente, da poda de árvores, galhos, troncos, cascas e folhas que caem nas ruas. Por se tratar de matéria orgânica, poderia ser utilizado para compostagem, produção de adubo orgânico e até confecção de objetos de artesanato. Infelizmente, no Brasil, ele é destinado quase exclusivamente aos aterros sanitários.

Lixo eletrônico
São os resíduos gerados pelo descarte de produtos eletroeletrônicos que não funcionam mais ou que estão muito superados.
Exemplos: televisores, rádios, impressoras, computadores, geladeiras, micro-ondas, telefones e etc.

Lixo nuclear
É aquele que é gerado, principalmente, pelas usinas nucleares. É um lixo altamente perigoso por se tratar de elemento radioativo. Devem tratados seguindo padrões rigorosos de segurança.
Exemplos: sobras de urânio utilizados em usinas nucleares e elementos radioativos que compõem aparelhos de raio-x.

Lixo espacial
É o lixo gerado a partir das atividades espaciais. Ficam na órbita terrestre, gerando uma grande poluição espacial.
Exemplos: satélites desativados, ferramentas perdidas em missões espaciais, resíduos de tintas e pedaços de foguetes espaciais.

Lixeiras específicas
Quando houver a necessidade de levar seu lixo até um dos pontos de coleta, é preciso saber que existem lixeiras específicas para cada tipo de resíduo, que são diferenciadas pelas cores. Essas cores seguem um padrão internacional.

As mais comuns são: azul, vermelho, verde e amarelo, porém, existem outras que não são tão utilizadas no dia a dia, mas vale a pena conhecer:

Azul: papel e papelão

Vermelho: plástico

Verde: vidro

Amarelo: metal

Preto: madeira

Laranja: resíduos perigosos

Branco: resíduos ambulatoriais e de serviço de saúde

Roxo: resíduos radioativos

Marrom: resíduos orgânicos

Cinza: resíduos não recicláveis, misturados ou contaminados.

Lembre-se: o lixo deve ser colocado limpo nessas lixeiras, para facilitar o trabalho de quem recicla e para que não haja perda de material.

Sem dúvidas
Ouvimos sempre o quanto é importante reciclar materiais. Mas muitas vezes o que pode ser reciclado não fica muito claro. Abaixo, confira algumas dicas do que pode ser encaminhado para a coleta seletiva e o que deve ir para o lixo comum:

Papel:

O que recicla – Papéis de escritório, papelão, caixas em geral, jornais, revistas, livros, listas telefônicas, cadernos, papel cartão, cartolinas, embalagens longa-vida, listas telefônicas, livros.

O que não recicla – Papel carbono, celofane, papel vegetal, termofax, papéis encerados ou plastificados, papel higiênico, lenços de papel, guardanapos, fotografias, fitas ou etiquetas adesiva.

Plástico:

O que recicla – Sacos, CDs, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, PET (como garrafas de refrigerante), canos e tubos, plásticos em geral.

O que não recicla – Plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos), isopor.

Vidros:

O que recicla – Garrafas de bebida, frascos em geral, potes de produtos alimentícios, copos.

O que não recicla – Espelhos, cristais, vidros de janelas, vidros de automóveis, lâmpadas*, ampolas de medicamentos, cerâmicas, porcelanas, tubos de TV e de computadores.

*O ideal é que esse material seja embalado e descartado em locais que encaminhem para a descontaminação.

Metais:

O que recicla – Latas de alumínio (refrigerante, cerveja, suco), latas de produtos alimentícios (óleo, leite em pó, conservas), tampas de garrafa, embalagens metálicas de congelados, folha-de-flandres.

O que não recicla – Clips, grampos, esponjas de aço, tachinhas, pregos e canos.

Conhecendo essas informações, é bem mais fácil separar seu lixo reciclável. Se você tem alguma dúvida, procure um posto de coleta e informe-se. O que não vale é ficar parado! A coleta seletiva de lixo é uma atitude simples, mas que ajuda a preservar o meio ambiente, evitando o acúmulo de lixo e reaproveitando os recursos.

Essa foi mais uma dica do portal WebReforma em prol do meio ambiente.
Acesse nosso Portal e encontre empresas e profissionais de Reciclagem ** Link com a empresa Sete Praias **, Caçambas, entre outros.

Fotos: Reprodução

Um comentário sobre “Cada lixo no seu lugar

  1. Republicou isso em Balaio de Tecnologia & Variedadese comentado:
    Não sou um contumaz defensor do planeta, mas tenho a consciência de que precisamos fazer algo para evitar a extinção da humanidade, raça da qual faço parte.

    As dicas abaixo do portal Webreforma são interessantes sob o ponto de vista da questão do lixo e o meio ambiente.

    Vale a pena dar uma lida.

    Compartilhem.

    Abs.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s